terça-feira, 10 de agosto de 2010

O desempenho de Dilma na entrevista ao JN

Na TV, Dilma cola em Lula e diz: “tenho experiência, conheço o Brasil”

Por Christina Lemos

Para além do irritante desempenho dos apresentadores do Jornal Nacional, que praticaram nesta segunda uma espécie de anti-entrevista – em que a pergunta é mais importante que a resposta a ponto de não permitir que o entrevistado termine uma frase –, o desempenho de Dilma Rousseff surpreendeu.


Se no debate da TV Bandeirantes, onde a audiência não passou de 3 pontos, a performance da petista foi sofrível; na entrevista ao telejornal, Dilma se saiu bem: foi direta, deu seu recado, mesmo que de forma entrecortada, mostrou segurança, corriu e até olhou para a câmera. Mas, acima de tudo, voltou a colar a própria imagem na de Lula, sem deixar de se afirmar, primeiro declarando: “tenho experiência, conheço o Brasil de ponta a ponta”, para mais adiante dizer: “tenho imenso orgulho da minha relação com ele [Lula]”. Noutro momento, reforçou, com ênfase: “nós, do governo Lula...” – restabelecendo uma conexão direta com uma gestão altamente aprovada pela maioria da população.

Confrontada por cinco perguntas que diziam respeito ao seu caráter duro, e perguntada se maltrata as pessoas, Dilma se justificou: “eu não vacilo quando as questões envolvem o povo brasileiro” e tentou emplacar a imagem de mãe severa.

A entrevista teve momentos patéticos, como a comparação entre o crescimento do Brasil e o dos vizinhos Paraguai e Bolívia, proposta pelos jornalistas. E perguntas-pegadinha, do tipo: o PT errou quando não fez aliança no passado, ou erra agora, quando faz aliança. Contra essa, Dilma está vacinada. Deu a mesma resposta de sempre: a de que o Brasil é um país complexo de governar e que quem apóia o projeto petista é aceito, segundo este projeto. E ainda aderiu que o PT realmente não tinha experiência de governo no passado. Atendeu assim ao pífio esforço jornalístico de cavar uma manchete. Risível.

Resumo da ópera: Dilma se saiu bem e na hora e no lugar certos. Do debate para a entrevista, foram só três dias. Mostrou que aprende rápido e pode surpreender.


Um comentário:

Carlos Filipe disse...

Não vi nada de surpreendente nela, estava sim preparada pois concordo que os apresentadores pegaram pesado, mas o que vi foi uma Dilma nervosa e ensaiada nas respostas.