sábado, 29 de agosto de 2009

"Bases dos EUA na Colômbia ofendem dignidade e inteligência"


Carta Maior - 29/08/09

Em entrevista concedida no Equador, Eduardo Galeano fala sobre o significado do projeto de instalação de bases militares norte-americanas na Colômbia e sobre o atual momento da América Latina. Ao mesmo tempo em que região vive um tempo aberto de esperança, diz o escritor uruguaio, a independência ainda é um projeto inacabado. "Há uma espécie de renascimento que é digno de celebração em países que não chegaram ainda a ser independentes, apenas começaram um pouquinho a sê-lo. A independência é uma tarefa pendente para quase toda a América Latina", afirma. Leia aqui...

Os governos do PSDB e o povo

Recentemente, em menos de três dias de um episódio para o outro, os governos do PSDB do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, e de São Paulo, José Serra , nos deram mostras de como são insensíveis com relação às questões sociais, permitindo que suas polícias ajam de forma truculenta e sem direito a negociação ou possibilidade de uma alternativa que solucione pelo menos parte do problema, não interessando se do outro lado quem está são os mais pobres.



No dia 21/08, em São Gabriel (RS), numa ação de reintegração de posse, a Brigada Militar, assassinou, covardemente, com um tiro nas costas o sem-terra Elton Brum da Silva, de 44 anos, sendo que 50 pessoas ficaram feridas.






No dia 24/08, na capital paulista, 800 famílias foram desalojadas pela PM paulista, sem tempo sequer para tirar seus pertences dos barracos. Pois, enquanto alguns barracos queimavam outros eram destruídos por tratores e aqueles moradores que resistiam eram expulsos com bombas de efeito moral e gás lacrimogênio. Mulheres, crianças e idosos ficaram sem ter para onde ir.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Dilma Rousseff não para de crescer nas pesquisas de intenção de votos

O desespero demo-tucano com relação à Dilma Rousseff tem explicações. Desde que seu nome foi lançado para presidenta do Brasil que ela não para de crescer nas pesquisas e já vem inclusive batendo no Serra em alguns estados.


Segundo jornal “O Globo”, 27/08, Aécio Neves está fazendo circular entre os tucanos pesquisa Vox Populi, onde os resultados demonstraram que Dilma vence o José Serra na Bahia (32% x 22 %) e em Pernambuco (32 % x 24%); já no Rio de Janeiro é o Ciro Gomes que ganha do tucano (19% x 16%) e em outros dois estados governados pelo PSDB é Serra quem está na frente, São Paulo (40% x 17%) e Minas Gerais (33% x 18%).


Em um outro cenário Aécio em Minas Gerais, onde é governador, lidera contra Dilma (68% x 10%) e tem desvantagem em São Paulo (18% x 14%). Duas mil pessoas foram ouvidas entre 31 de julho e quatro de agosto.


Acredito que esses dados ainda sejam referentes aquela pesquisa do Vox Populi que foi divulgada pelo Jornal da Bandeirantes (18/08), que mostrava apenas a disputa em nível nacional, onde a diferença entre Serra e Dilma era de apenas 9%, aqui. Talvez pelo resultado não ser bom para o tucano em alguns estados a Band não os tenham divulgado. Pois, não interessava mostrar que Dilma já havia ultrapassado o tucano em alguns deles.


Outra informação sobre pesquisa do instituto Vox Populi, publicada em 12/08, O Globo, são de que no Rio Grande do Sul, onde Lula perdeu em 2006, Dilma vence de 26% a 25%, aqui.

Com relação a pesquisa do Datafolha, apesar de todos os indícios de fraude, aqui, não conseguiu esconder o crescimento de Dilma. Pois, em março de 2008, esse mesmo instituto, mostrou que ela estava com 3% das intenções de voto e na última pesquisa, 16/08, ela havia alcançado 16%.

O que podemos verificar é que as pesquisas têm demonstrado, apesar das tentativas de manipulação, que Dilma continua crescendo e ainda tem muito para crescer. Muito embora saibamos que para favorecer uma possível rejeição de Dilma, aqui, muitas acusações caluniosas e difamatórias da oposição demo-tucana são endossadas pelo PIG e até mesmo criadas por este, são factóides covardes tipo “assassinatos de reputação” como aquele que a Folha de São Paulo fez quando publicou a “ficha falsa” da ministra Dilma, aqui, tentando impingir-lhe a pecha de “terrorista”, ou, como no caso Lina Vieira, de “mentirosa”, aqui.

PIG, demo-tucanos e Yeda Crusius

foto Internet

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB-RS), esta sendo investiga na CPI da Corrupção instalada quarta-feira (26), por participação em fraude no DETRAN-RS (desvios de R$ 44 milhões) e de ter se beneficiado de irregularidades em concorrências e licitações públicas. Além dessas, pairam também sobre a governadora tucana as acusações de formação de Caixa Dois na campanha em que se elegeu em 2006; comprar apoio na Assembléia Legislativa; promover barganha de cargos em estatais; adquirir a mansão em que mora em bairro nobre por preço superior ao seu patrimônio (pago com dinheiro de Caixa Dois).


Como se pode ver são muitas as denúncias. No entanto, a Folha de São Paulo, O Globo, o Estado de São Paulo, o Valor Econômico e o Correio Braziliense, dentre outros, não dão os devidos destaques em suas matérias. Muito embora, saibamos que quando se trata dos desmandos e das falcatruas demo-tucanos o PIG não cobre, na verdade, encobre.


Tem também os senadores da oposição Pedro Simon, Arthur Virgílio, Heráclito Fortes, José Agripino, Tasso Jereissati, Cristovam Buarque e o ex-presidente FHC, apresentados pelo PIG como representantes da moral e da ética, sem falar que também não são santos, apesar de criticarem e se mostrarem indignados com o senador Sarney, não têm tido a mesma postura com relação às denúncias de corrupção no governo do PSDB do Rio Grande do Sul, mas, por vezes, até defendido.


Dessa forma percebe-se, diante de tanta hipocrisia, que o único objetivo do PIG e da oposição é desancar o governo do presidente Lula e o PT. Nada de moralizar o país.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Palocci foi inocentado pelo STF

Por cinco votos a quatro Palocci e o seu ex-acessor de imprensa, o jornalista Marcelo Netto, foram inocentados pelo STF no processo de quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa.

O ministro Gilmar Mendes, relator do processo entendeu que não havia indícios para abertura de um processo contra o ex-ministro. Pois, não havia provas de que Palocci tivesse "instigado ou determinado" a obtenção ou divulgação do documento.

No entanto, o Supremo aceitou denúncia contra Jorge Mattoso, ex-presidente da caixa na época das denúncias, de quem Palocci teria recebido os extratos de Francenildo. Gilmar Mendes disse que o servidor tem autorização para acessar dados sigilosos de correntistas. Mas, não poderia tê-los mostrados a terceiros.


Mattoso vai agora responder a processo por quebra de sigilo bancário na Justiça de primeira instância.


Governo lança Blog do Planalto na segunda-feira

Jornal de Brasília - 27/08/2009


Além do lançamento do marco regulatório do pré-sal, o governo também programa para a próxima segunda-feira (31) a apresentação do Blog do Planalto, com o objetivo de aproximar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dos internautas.


O blog terá conteúdos multimídia, como textos, áudios, vídeos e infográficos sobre atos e decisões do governo federal. Uma equipe com cinco profissionais será responsável por atualizar as informações.


O formato do blog foi apresentado pela Presidência da República, em junho passado, durante o 10º Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS). Durante a elaboração da ferramenta, a Presidência abriu uma consulta para saber o que o público quer ler e ver no blog.

Câmara aprova medida que garante recursos para micro e pequenas empresas

Jornal de Brasília - 27/08/2009

A Câmara dos Deputados aprovou, há pouco, a Medida Provisória (MP) 464, que autoriza a União a participar de fundos a serem criados e geridos por bancos federais, no valor de até R$ 4 bilhões, para garantir contra riscos as operações de crédito destinadas a atender as micro e pequenas empresas. A MP vai agora à apreciação do Senado Federal.


A votação foi possível após os líderes da base governista fecharem acordo, hoje, com o governo, durante reunião com os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e das Relações Institucionais, José Múcio. Na reunião, o ministro Paulo Bernardo se comprometeu a elaborar até sexta-feira (28) um cronograma para a liberação dos recursos das emendas parlamentares.


O texto aprovado foi apresentado pelo relator da MP, Átila Lins (PMDB-AM), que propôs mudanças na proposta original do governo. Entre as alterações está a autorização para que a União aumente o capital do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço com recursos do próprio FGTS. O aumento poderá ser de 80% do total do patrimônio líquido registrado no ano anterior. De acordo com o deputado, os recursos desse fundo são aplicados em projetos nas áreas de transporte e energia.


Ao explicar em plenário o novo texto, Átila Lins informou que o FI-FGTS conta atualmente com R$ 11,2 bilhões e que a demanda adicional de investimentos está em torno de R$ 20 bilhões. Segundo ele, o aumento do capital do fundo não prejudicará a remuneração dos recursos do FGTS, que são dos trabalhadores brasileiros.


Antes da votação da MP, os líderes do DEM, Ronaldo Caiado (GO), e do PPS, Fernando Coruja (SC), apresentaram questão de ordem ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), alegando que o relator não poderia incluir no texto mudanças sobre o FI-FGTS por serem "matérias estranhas ao assunto original da medida provisória”. Temer rejeitou a questão de ordem, por entender que os assuntos têm relação com a MP.


Concluída a votação da MP, foi convocada sessão extraordinária da Câmara para a noite de hoje para a votação, entre outras matérias, do acordo relativo ao Estatuto da Igreja Católica no país, firmado entre o Brasil e o Vaticano.

Wilma diz que não abre mão de conduzir sucessão

Do Diário de Natal

A governadora Wilma de Faria (PSB) negou que tenha transferido a total responsabilidade pela condução do processo sucessório ao vice-governador Iberê Ferreira de Souza (PSB), durante encontro do partido no último final de semana. Durante café da manhã oferecido à imprensa, ontem, para lançar a Feira de Artesanato Potiguar, ela afirmou que Iberê, na condição de governador na ocasião da campanha, será uma "figura importantíssima" no processo, mas ressaltou que ela não abrirá mão de conduzir as articulações na condição de principal liderança do PSB, mesmo estando fora do comando do Executivo.

Wilma deixou claro que o vice-governador desempenhará o papel de coordenação e de integração que já teve em outras eleições. "Eu e ele estamos fazendo esse trabalho. Mas, pela liderança que eu exerço, até mesmo por ser presidente do nosso partido, por nossa história de luta, evidente que vou continuar esse trabalho", disse, referindo-se às articulações para condução do grupo e composição da chapa majoritária. Leia mais...

CPI contra Yeda é instalada

26/08/09 - 17h50 - Atualizado em 26/08/09 - 19h14

Do G1, em São Paulo



Stela Farias, do PT, vai coordenar os trabalhos.


A Comissão Parlamentar de Inquérito funcionará por 120 dias.


A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul instalou, nesta quarta-feira (26), a CPI da Corrupção, que investigará supostas irregularidades do governo de Yeda Crusius (PSDB). O governo é alvo de denúncias sobre desvios de verba do Detran gaúcho e caixa dois em campanha eleitoral.

Leia mais...

Câmara aprova Estatuto da Igreja Católica

27/08/2009 - 00h14


da Folha Online
da Agência Câmara

Atualizado às 00h26.


O plenário da Câmara dos Deputados aprovou no fim da noite desta quarta-feira o texto do PDL (Projeto de Decreto Legislativo) sobre o acordo entre Brasil e Vaticano que cria o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no país.


O acordo foi assinado em 2008. O texto estabelece normas, entre outros assuntos, sobre o ensino religioso, o casamento, a imunidade tributária para as entidades eclesiásticas, a prestação de assistência espiritual em presídios e hospitais, a garantia do sigilo de ofício dos sacerdotes, visto para estrangeiros que venham ao Brasil realizar atividade pastoral.


O acordo também reforça o vínculo não-empregatício entre religiosos e instituições católicas, ratificando regras já existentes.


O projeto será enviado agora para o Senado. Leia a íntegra da proposta.

Leia mais...

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Chávez: acordo EUA-Colômbia é ‘declaração de guerra’

Do G1


O presidente venezuelano, Hugo Chávez, previu nesta terça-feira uma futura “ruptura” das relações entre Caracas e Bogotá, ao qualificar o acordo militar entre Colômbia e Estados Unidos de “declaração de guerra”.


“É preciso preparar a ruptura das relações com a Colômbia. Isto vai ocorrer”, disse Chávez a seu ministro das Relações Exteriores, Nicolás Maduro, ao comentar o acordo entre Bogotá e Washington, que prevê a utilização de bases militares no território colombiano por tropas americanas. Aqui



Os DEMO não defendem quilombolas

DEM barra votação do Estatuto da Igualdade Racial

Renata Camargo, Congresso em Foco

“A votação do Estatuto da Igualdade Racial foi adiada, mais uma vez, nesta quarta-feira (26), após obstrução do DEM e do PP à reunião da comissão especial para apreciar a matéria. Em sala lotada de representantes de movimentos negros, os membros da comissão não chegaram a um consenso após duas horas de conturbada reunião.

O impasse recai, sobretudo, sobre cinco pontos do projeto. O principal deles trata da titulação de terras para remanescentes das comunidades quilombolas. O estatuto garante aos remanescentes que estejam ocupando terras o título definitivo da propriedade. Deputados ruralistas, no entanto, questionam esse direito e pedem a retirada do item que traz a definição de remanescente quilombola – o que na prática poderá derrubar também o artigo que prevê o reconhecimento da propriedade definitiva da terra. (art. 34).

“Essa definição da comunidade negra pode dar interpretações diferentes. Se alguém dizer que ‘meu avô quilombola esteve perambulando por essa terra’, ele poderá reivindicar a terra. Estão tomando terras dos produtores rurais. Vemos claramente qual o interesse desse estatuto”, considerou o deputado ruralista Luiz Carlos Heinze (PP-RS), que esteve em obstrução durante a sessão.

Para o deputado Domingos Dutra (PT-MA), o único representante de remanescentes quilombolas eleito no Congresso, a estratégia ruralista é retirar a definição para anular o benefício da titulação de terras e manter a “definição genérica” de remanescente quilombola prevista na Constituição. “A definição na Constituição está em aberto e o conceito de remanescentes quilombolas envolve vários outros critérios como a territorialidade. Eles querem derrubar essa definição e com isso o conteúdo principal do estatuto que é o direito a terra, uma reparação mínima aos remanescentes de quilombos”, defende o petista.” Leia mais, ::Aqui::

A Globonews e o factóide da Receita Federal

A Mônica Waldvogel, no programa Entre Aspas, 25/08, passou por um dos maiores vexames da sua carreira e talvez do jornalismo brasileiro, foi desmentida pelos três entrevistados, quando tentava desesperadamente impingir no governo a pecha do aparelhamento da Receita Federal.


Dentre os entrevistados estava inclusive o ex-Secretário da Receita Everardo Maciel, da gestão FHC, que depois de indagado pela Mônica sobre a politização da Receita, disse que a mesma ocorreu com Lina Vieira quando escolheu pessoas pelo perfil sindical e não técnico e que agora não há ingerência política, porque é atribuição do Ministro definir o Secretário.


É nisso que dá não fazer jornalismo sério, responsável e honesto.


O que você vai assistir neste vídeo não é nenhum programa de humor, mas, eu garanto que você vai rir muito... Principalmente no momento que a Mônica tenta se socorrer no Everardo Maciel. Além disso, você vai constatar que a gestão de Lina Viera foi um desastre.





Entre Aspas liquida com o factóide da Receita Federal

Do Luiss Nassif


Comentário:


O comentário inicial lido por Mônica Waldvogel é vergonhoso, antijornalístico, desonesto, porque desmentido ao longo de todo o programa pelos três entrevistados convidados. A Globonews perdeu o rumo.


Os três convidados são unânimes em afirmar que politização ocorreu na fase de Lina Vieira, não agora. Mônica atropela as conclusões da mesa redonda, desrespeita os telespectadores ao antecipar conclusões falsas. Principalmente sabendo-se que a abertura sempre é feita após o programa, com base nas conclusões levantadas.


Paulo Antenor, presidente do SindiReceita, sindicato dos Analistas-Tributários da Receita Federal, denuncia o aparelhamento da Receita… por Lina. Mostra que o pedido de demissão coletiva dos antigos superintendentes foi apenas uma antecipação para demissões que ocorreriam. O advogado tributarista nega crise na Receita. Disse que está mais preocupado com as taxas de juros dos bancos e temas mais relevantes.


Mônica tenta se socorrer do ex-Secretário da Receita Everardo Maciel, da gestão FHC, pedindo que confirme a politização. Everardo diz que a politização ocorreu com Lina e que agora não há ingerência política, porque é atribuição do Ministro definir o Secretário.


Depois disso tudo, Mônica volta ao papo de que Mantega estaria pressionando para não apertar os grandes contribuintes. Os entrevistados negam. Everardo mostra que esse foco nos grandes contribuintes começou em sua gestão. Mônica diz que houve aumento na arrecadação dos grandes contribuintes na gestão Lina. Everardo desmonta com números.


Mônica vem com a história da opção do regime de caixa pela Petrobras foi manipulação. Everardo é incisivo: a Petrobras está certa. O factóide criado foi para justificar a queda da arrecadação na gestão Lina - embora admita que a queda tem muitos outros fatores deflagradores, entre os quais a crise.


Mônica: se fosse tão clara a possibilidade de mudar o regime no meio do ano, não haveria essa controvérsia.


Everardo: a regra é clara e foi feita em 1999 justamente para enfrentar o problema da desvalorização cambial.


Mônica: mas até agora a Receita está para soltar um parecer.


Everardo e os demais: já foi feito, concordando com a Petrobras. Essa prática existe há muito tempo, não existe qualquer ilegalidade ou manobra contábil.


Mônica, balbuciando: a lei foi feita. Houve então uma manipulação da opinião pública?

Todos concordam com a cabeça.


Aí ela deriva a entrevista para o caso Sarney, perguntando se é legítimo pressionar a Receita para abrandar a fiscalização.


O presidente do Sindicato disse que é impossível essa pressão, que nunca essa informação correu na Receita. Disse que sempre trabalhou próximo à chefia da Receita, tanto no governo FHC e Lula, e nunca viu esse procedimento. O chefe da Receita conversa com políticos todos os dias. Mas esse tipo de ingerência é novidade para a gente.


Everardo disse que se ocorreu, o momento certo seria na época em que foi feita. Se não fez, cometeu prevaricação.


Conclusão final dos três entrevistados: Lina foi um desastre para a imagem da Receita e caberá a todos os funcionários trabalharem para o resgate de sua imagem.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

O Brasil é um dos primeiros a sair da crise

Folha de S. Paulo

Projeção: Mantega prevê novo ciclo de crescimento a partir de 2010

Autor(es): SAMANTHA LIMA


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que o país vai engrenar um novo ciclo de crescimento em 2010 e reafirmou que a economia voltou a crescer no segundo trimestre.


"O Brasil é um dos primeiros a sair da crise. Significa que o ajuste contra a crise foi mais rápido, o custo do ajuste foi melhor e a qualidade facilita um novo ciclo de expansão que, a meu ver, começa em 2010", disse no Rio.


Segundo ele, a economia cresceu 1,6% no segundo trimestre, após ter encolhido 0,8% no trimestre anterior e 3,6% no quarto trimestre do ano passado -o que deixou o país em recessão.


Para Mantega, anualizado esse ritmo, a taxa resultaria em uma expansão do PIB de 6,47%.


A taxa oficial será divulgada em setembro pelo IBGE.


O ministro disse ainda que o Brasil foi um dos países que menos gastaram em políticas públicas para atenuar os efeitos da crise, ou o equivalente a 0,8% do PIB em cortes de tributos e investimentos. Como comparação, citou a China, que teria gastado 13% do PIB, e os EUA (5,6%).

Dossiê Agripino Maia - Escândalo Rabo-de-Palha

Foto copiada do Blog do Ailton medeiros


Relembrando o "Dossiê Agripino" na Revista Caros Amigos

Em abril de 2008 a revista “Caros Amigos” publicou o Dossiê Agripino Maia, de Leo Arcoverde e a Raquel Souza, sobre as peripécias do senador José Agripino. Não vou reproduzir a matéria na íntegra, mas para quem quiser conhecer melhor o pontífice da moral e da ética do PIG basta ler aqui no Blog do Alisson, destacarei apenas o trecho que demonstra claramente a forma do senador fazer política .


Contextualização:


Em 1979 José Agripino, filho do governador biônico Tarcísio Maia, é empossado como prefeito biônico da capital do Rio Grande do Norte pelo PDS, ex-ARENA.

Terminado o mandato de prefeito, em 1982, José Agripino foi eleito governador pelo PDS ( na época, o mesmo partido do atual presidente do Senado, José Sarney) e teve como adversário Aluízio Alves. Foi muito importante para o seu êxito nessa eleição o voto vinculado – que o povo apelidou de “voto camarão”: o eleitor só podia votar em candidatos de um mesmo partido, sob pena de anular o voto . Na época o PDS tinha tudo, estrutura maior, poder, dinheiro. E isso favoreceu bastante à sua vitória.


"Escândalo Rabo-de-Palha"


Fonte: Revista Caros Amigos


(...)
José Agripino Maia toma posse em 15 de março de 1983 e, dali a dois anos, será flagrado numa reunião com auxiliares e 120 prefeitos, acertando o que constituiria a maior fraude eleitoral da história do Rio Grande do Norte.

Dessa vez, José Agripino queria eleger prefeita de Natal sua secretaria de Promoção Social, Wilma Maia, em 1985. Tinham como adversário o deputado estadual Garibaldi Alves Filho (PMDB), sobrinho de Aluízio e hoje presidente do Senado. O plano foi todo armado em quatro reuniões, no Centro de Convenções, Zona Sul de Natal.

José Agripino simplesmente instruiu os prefeitos a comprar títulos eleitorais, distribuir presentes, incentivar tumultos nos processos de votação e apuração e, ainda, usa veículos oficiais com placas frias para transportar eleitores do interior para a capital. O caso ficou conhecido como Escândalo Rabo-de-Palha, rótulo fornecido pelo próprio José Agripino, que ao final de uma reunião pediu:

- Não podemos deixar rabo-de-palha.

Caros Amigos reproduz aqui parte da conversa. Laudo do Instituto Nacional de Criminalística, da Polícia Federal, diz que a voz é do governador.

José Agripino -Os pobres estão indecisos. É em cima desse povo que você tem que atuar. Com uma feirazinha, com um enxoval, com umas coisinhas.

Iberê Ferreira de Souza (secretário) - O povo mais pobre que não se compromete, troca o voto por qualquer coisa. Botar o milho no bolso, porque sem milho não funciona.

Álvaro Alberto (financiador) - O meu jogo é aberto. Se é preciso comprar os títulos, vamos comprar. Te que gastar dinheiro, tem que chegar com o dinheiro.

O conceito de democracia de Agripino é peculiar, não é adequado a verbete de dicionário, serve apenas a ele e seus apaniguados:

- Vamos indicar ma área para vocês trabalharem e inclusive nas áreas modestas, de eleitores indecisos que são sensíveis a uma conversa e a uma negociação, que será feita por nós ou por eles. Democracia é isto!

O conceito de terrorista também:

- E aí eu quero fazer um lembrete: importante não é a quantidade de pessoal, é a qualidade das pessoas, porque, se a gente traz uma mocinha, como eu vi na eleição de 82, mocinhas inexperientes, elas ocupam uma função, não dão conta do recado e perdem fácil para o comunista, o terrorista, que vai se impor, intimidar e ganhar no grito.

(...)




segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Getúlio Vargas

Hoje, 24/08, comemora-se mais um ano do mais trágico acontecimento de nossa história, o suicídio de Getúlio Vargas. Após reunião ministerial em que é pressionado a renunciar, Getúlio Vargas se suicida com um tiro no coração, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, no dia 24 de agosto de 1954.


A Carta Testamento do Presidente Getúlio Vargas!

"Mais uma vez, a forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.

Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre.

Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.

Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão.

E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História." (Rio de Janeiro, 23/08/54 - Getúlio Vargas)



http://www.youtube.com/watch?v=AL04DWXAslw

Lina Vieira & José Agripino

Do Blog do Ailton Medeiros

Antes do depoimento no Senado

Lina Vieira teve dois encontros com Agripino Maia


A ex-secretária da Receita, Lina Vieira, consultou duas vezes o senador José Agripino Maia uma semana antes dela depor na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.


A primeira conversa foi por telefone. A segunda no apartamento do próprio senador em Natal.

domingo, 23 de agosto de 2009

Cuba condena ameaças a cantor que se apresentará em Havana

O governo de Cuba condenou neste sábado as ameaças feitas contra o cantor pop colombiano Juanes, que planeja realizar um show no próximo mês na Praça da Revolução, em Havana. O ministro cubano da Cultura, Abel Prieto, qualificou de "vergonhosas e lamentáveis as ameaças com origem em Miami" contra o show "Paz Sem Fronteiras", a ser apresentado por Juanes.

"Temos visto lamentavelmente o rosto feroz do fascismo de Miami contra um projeto tão bonito como o de Juanes, que dos Estados Unidos tentam politizar, como fizeram com o famoso quadro do pintor cubano, Manuel Mendive", disse o ministro.

A referência foi ao fato de um quadro de Manuel Mendive ter sido adquirido, em Miami, por um mercenário (pertencente à célebre brigada 2506) com o único propósito de queimá-lo em uma fogueira.

O ministro afirmou que a intolerância chegou ao extremo de proferir ameaças de morte contra Juanes e sua família, que chegou a receber proteção policial. Segundo ele, o show, marcado para 20 de setembro, está em pé. "Esperamos que os envolvidos nessa campanha contra um nobre propósito se envergonhe do que estão fazendo", concluiu.

Cenas de intolerância semelhantes já aconteceram durante o Festival Internacional de Cinema de Miami, quando a exibição de um filme cubano provocou ameaças de bomba, e a festa do Grammy Latino, que suspendeu a presença de músicos de Cuba.

Alguns cubanos nos Estados Unidos têm dito que o show de Juanes endossa o governo comunista na ilha caribenha. “Decidimos montar um concerto sem cores políticas. (...) O problema que nós enfrentamos não é cubano, mas humano. Não me interessa o governo de Cuba. Me interessam as pessoas, os jovens”, disse Juanes ao diário espanhol.

O cantor informou à polícia da Flórida que alguém lhe mandou mensagens - através do serviço de microblog Twitter -, dizendo, entre outras coisas, "Eu odeio o que você está falando, mas você irá morrer por defender seu direito de dizer isso."

Segundo a polícia do Estado americano, Juanes considerou cancelar o show em Havana devido ao "medo por sua segurança e a de sua família." A polícia ainda informou que levou as ameaças a sério e que patrulha perto das casas de Juanes e do seu agente, Fernan Martinez Maecha. Os dois moram em Key Biscayne, uma ilha próxima a Miami.

Durante o show, além de Juanes, também se apresentarão o cantor cubano de folk Silvio Rodriguez e o grupo de salsa Los Van Van.

Com Prensa Latina

Fonte: Portal Vermelho

Inácio ironiza PSDB e defende retorno da CPMF

O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) defendeu a aprovação da Contribuição Social para a Saúde (CSS), que substitui a extinta Contribuição sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Votei três vezes na CPMF. Duas no Governo FHC e outra no Lula; espero que ela volte com força”, disse o comunista ironizando o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) que é radicalmente contra, embora o imposto tenha nascido no governo Fernando Henrique Cardoso. Eles debateram o assunto nesta sexta (21) ao vivo na rádio CBN.

A polêmica voltou à tona após o acordo feito nesta semana entre o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e a bancada do seu partido, o PMDB, para que o projeto seja votado até setembro. O PT já disse que apoia.

Trata-se de um substitutivo da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 306/2008, do Senado, que regulamenta a emenda constitucional nº 29 prevendo à CSS alíquota de 0,1%, menor que os 0,38% da CPMF. A cobrança do imposto sobre as transações financeiras levaria a uma arrecadação anual de R$ 12 bilhões para o setor.


Vejam mais no Vermelho