sábado, 4 de junho de 2011

Greve de bombeiros é reprimida pelo Governo do RJ

É uma vergonha os governos estarem preocupados em gastar bilhões para sediar uma Copa do Mundo e não quererem atender as reivindicações dos seus servidores - profissionais, heróis, que recebem um mísero salário. Definitivamente, segurança, saúde e educação não são prioridades.
 
Veja abaixo a forma como o governo do Rio de Janeiro trata os seus heróis:


PM invade quartel e reprime à força greve de bombeiros no RJ

A tropa de Choque da Polícia Militar (PM) e também policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) invadiram, na manhã deste sábado (4), o Quartel Central do Corpo de Bombeiros, no centro do Rio de Janeiro, ocupado por mais de 2 mil bombeiros na noite da véspera, numa manifestação por melhores salários e condições de trabalho.

Para entrar no complexo, por volta de 6h10, os policiais usaram bombas de efeito moral e bombas de gás lacrimogêneo. Pelo menos cinco crianças sofreram intoxicação devido ao gás e dois adultos tiveram ferimentos leves na cabeça, por conta das bombas de efeito moral que foram lançadas pelo Bope. Todos estão sendo atendidos no posto no interior do quartel.


Antes da entrada dos PMs, diversas bombas de efeito moral foram lançadas para dentro do quartel. Algumas atingiram a cozinha do complexo, onde havia crianças e mulheres. As explosões causaram pânico no local. Ninguém que estava na ala ficou ferido.

O clima já era tenso no início da manhã deste sábado no Quartel Central. Desde 19h30 de sexta (3), bombeiros ocuparam o pátio e as dependências do complexo. Mulheres e até crianças se uniram a oficiais numa passeata que começou em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e que passou pelas principais avenidas do centro, até chegar ao quartel.

O Cabo Benevenuto Daciolo, porta-voz do movimento, explicou que entre as reivindicações estão piso salarial líquido no valor de R$ 2 mil e vale-transporte. Segundo ele, a manifestação é pacífica, e o grupo só vai deixar o local após um acordo com o governador Sérgio Cabral.

“Nós temos o pior salário da categoria no país, que é de R$ 950. Estamos há dois meses tentando negociar com o governo, mas até agora não obtivemos resposta. Nosso movimento é de paz e estamos em busca da dignidade. Não vamos recuar até que haja uma solução. Queremos um acordo, queremos que o governador se pronuncie”, disse o porta-voz.

O comandante do Batalhão de Choque, coronel Waldir Soares, sofreu fratura em uma das mãos e teve o joelho lesionado durante a invasão dos manifestantes. As informações foram confirmadas pela Polícia Militar (PM). Segundo a PM, ainda não há informações sobre quem seja o responsável pelas agressões.

Após a invasão e durante a madrugada, os manifestantes se alimentaram com o estoque de comida da cozinha do quartel. Eles consumiram pães, queijos, frutas e sucos.

Discurso do comandante da PM

Na tentativa de convencer os mais de 2 mil bombeiros a deixarem o Quartel Central, o comandante-geral da Polícia Militar (PM), Mário Sérgio Duarte, afirmou na madrugada deste sábado, durante discurso aos manifestantes, que o momento é de reflexão. Mas foi justamente após a fala do militar que o clima voltou a ficar tenso no complexo invadido.

Por volta de 2h50, Duarte subiu num carro e, diante dos manifestantes, pediu para que todos retornassem para casa. “É primeira vez que venho aqui numa situação inusitada. Sou apenas um homem diferente, mas eu tenho a força dos meus e quero ter a dos seus. Nós precisamos resolver esse dilema, embora isso não signifique rendição para ninguém. Tenho certeza que nenhum de nós vai usar a força. Gostaria que as senhoras e os senhores refletissem. A minha proposta é que retornem para suas casas”, disse o comandante.

Durante a fala, que durou cerca de 20 minutos, o comandante foi interrompido por gritos e cantos dos manifestantes, que repetiam: “nem um passo daremos atrás”.
Diante da resistência, o comandante ressaltou que não pretendia usar a força e afirmou estar diante do melhor Corpo de Bombeiros do Brasil. “Mais uma vez peço vocês sentem e conversem sobre isso. Eu não estou propondo derrotados nem vitoriosos”, completou Duarte.

Em seguida, o cabo Daciolo, porta-voz do movimento, disse que havia 50 homens armados entre eles. “Nós temos essa casa (quartel) como nosso lar. E enxergamos o comandante-geral como nosso pai. Mas nós temos que pagar aluguel, compras, remédios. Aqui tem mulheres, homens de bem e famílias inteiras. Por favor, coronel, não permita que o mal aconteça”, pediu Daciolo.

Segundo Daciolo, participam do protesto bombeiros de quartéis de todo o estado. Ele informou ainda que as praias devem amanhecer sem guarda-vidas neste sábado.

De acordo com Cláudio Lopes, procurador-geral de Justiça do Rio, o governo pode decretar a prisão dos manifestantes se considerar que houve insubordinação. "A Polícia Militar está diretamente subordinada ao governo do estado, ao governador, hierarquicamente. E pelo regulamento militar, o governador pode, sim, decretar a prisão administrativa daquelas pessoas que ele venha a entender que violaram a legislação militar, sem prejuízo – dependendo exatamente do que aconteceu – de isso constituir algum tipo de crime militar", explicou.

Mais cedo, a Secretaria estadual de Saúde e Defesa Civil afirmou que os manifestantes serão presos por invadir órgão público, agredir um coronel e desrespeitar o regulamento de conduta dos militares.

Da Redação, com informações do G1

Reproduzido do Portal Vermelho

5 comentários:

paulo disse...

sou policial militar aqui no parana, quando fizemos uma manifestção semelhante aqui a alguns anos, nossas esposas foram tratadas da mesma forma, noosos soficiais assim como do resto do pais, jamais irão reclamar do ~salário, pois eles tem um salario absurdo e quando brigam por aumento é somente para eles, mito me adimira o pessoal da tropa de choque, obdecer uma ordem absurda contra seus proprios companheiros, pois quando subir o salário dos manifestantes o deles automaticamente sobe junto, eles acham que são super policiais, mas não passam de um bando de hipócritas e puxa saco de oficiais, eu imagino se a situação deles, se o salário deles é melhor que dos protestantes?

Anônimo disse...

interessante, é fácil prender quem já está preso às amarras de um regulamento arcaico e absoleto, difícil é prender os traficantes que foram flagrados subindo os morros nas invasões políticas recentemente no rio de janeiro. mais além, difícil é prender um senhor sarnento pelas suas folcatruas no senado, e o mister palocco pelos seu enriquecimento lícito ou ilícito? 950 esmolas é o que os canalhas acham justo para pagar mães e pais de famílias que arriscam suas vidas por um ideal e um lema proteger e servir. Até quando a sociedade civil vai acompanhar na platéia o nosso serviço publico ser afundado porque uns borra botas evocam as leis militares para intimidar profissionais de tanto valor? triste brasil! ainda falam de acabar com a miséria, pois bem vamos matar os miseráveis, incluindo os nossos bombeiros, talvez seja esta a solução.

Anônimo disse...

Concordo com o militar Paulo, os companheiros da Policia do rio de Janeiro conspiram na própria sopa, infelizmente são capachos de seus superiores, preferiram lutar contra os seus, acovardara-se, poderiam entrar para a historia como nos da policia Militar de Minas Gerais que em 1997, enfrentamos nossos medos e mudamos a historia, hoje temos o melhor e mais humano, Estatuto Militar do pais, mais para isso ariscamos nossas vidas nossa careira, e perdemos uma vida valiosa o meu grande amigo “CB Valeiro” herói maior da PMMG; O medo e o maior desafio, se não se defende os seus direitos, vocês já estão mortos em plena guerra, a guerra da sobrevivência!! Uma vergonha enfrentar companheiros desarmados e indefesos!!! Quem sabe um dia vocês sejam verdadeiros Policias Militares e não apenas fantoches!!!

gilvansalles disse...

Sou carioca e aqui vivemos um quadro de ditadura por parte desse governador irresponsável, que não faz nada pra melhorar a saúde, trata os professores com descaso e agora essa de nem ouvir as reivindicações dos nossos heróis bombeiros, que arriscam suas vidas por R$ 950,00.
isto é para o povo pensar melhor antes de votar em qualquer um

Anônimo disse...

Só a para voces tomarem conhecimento, e explicar ao militar paulo... não se adimire porque o BOPE invadil o quartel dos bombeiro no RJ e cumpril essa ordem absurda, o BOPE recebe mensalmente uma gratificação de R$ 1.500 a mais no salario, por isso eles nao reivindicam nada no RJ, nao da para contar com o BOPE pra nada.